Don Petisco
TV News
SPlay

Caso Vitória Gabrielly: pai da menina assassinada em Araçariguama, recebe carta de condenado pelo crime

Segundo o servente de pedreiro, um dos três acusados pelo o homicídio qualificado, ele afirma

Por Super - Rádio e Notícia em 27/06/2020 às 18:35:38
Menina Vitória Gabrielly desapareceu após sair de casa para andar de patins

Menina Vitória Gabrielly desapareceu após sair de casa para andar de patins

Condenado a 34 anos pela morte de Vitória Gabrielly, de 12 anos, Julio Cesar Lima Ergesse enviou uma carta para o pai da menina, Lu√≠s Alberto Vas, de 36 anos, para contestar o caminho que o caso tomou.

Segundo o servente de pedreiro, um dos três acusados pelo o homicídio qualificado, ele afirma "pagar pelo que os outros fizeram". Gabrielly foi morta em Araçariguama, no interior paulista, em 2018.

Conforme apura√ß√£o do jornal Agora, Alberto, conhecido como Beto, disse ter recebido a carta de um detento que estava na penitenci√°ria de Tremembé, na qual Julio est√° detido. A correspond√™ncia foi entregue em uma folha de caderno na √ļltima ter√ßa-feira (23), em Ara√ßariguama.

"As cartas demoraram uns 15 dias para chegarem em minhas m√£os [desde que o preso saiu da cadeia]", disse Beto.

O pai de Vitória decidiu procurar a delegada Bruna Racca Madureira, a qual ficou respons√°vel pela investiga√ß√£o da morte da menina.

O advogado de defesa Glauber Bez afirmou que não fará "nenhuma declaração sobre esta carta", conforme o jornal.

"N√£o sei de onde ele [Ergesse] tirou esse Uno. N√£o tem sentido nada do que ele escreveu", afirmou.

Além da afirma√ß√£o, Bruna diz que o inquérito est√° "todos os fatos foram apurados na época [do crime]", e o inquérito est√° finalizado.

Ao jornal, o pai de Vitoria disse que sentiu "usado". "N√£o tive outra alternativa do que sentir. Principalmente pela frieza da carta. Ele [Ergesse] n√£o faz sequer uma abordagem a mim [sobre a morte de Vitória]. Ele escreveu o que interessava para ele", desabafou.

Confira a carta na íntegra

O Fiat Uno azul, que foi usado no crime, est√° preso na delegacia de Ara√ßariguama, mas ainda n√£o foi feita per√≠cia [nele], um erro de comunica√ß√£o, entre Ara√ßariguama e Sorocaba, porque quem faz a per√≠cia é a pol√≠cia de Sorocaba, mas como a m√≠dia n√£o tem esse conhecimento, ent√£o n√£o h√° pressa nenhuma da pol√≠cia o Galego est√° foragido e quem est√° dando cobertura a ele é o dono do carro que também é traficante. Fa√ßa isso chegar ao conhecimento da m√≠dia, a√≠ a pol√≠cia trabalha. O [nome de testemunha] deve estar [nome inintelig√≠vel] bairro rural onde o Galego tem uma ch√°cara. N√£o é justo estar preso pelo o que os outros fizeram.

Fonte: Isto√Č

TV News
Anuncie 2
Don Petisco
SPlay

Coment√°rios