Don Petisco
TV News
SPlay

Ato virtual em defesa da democracia reúne políticos de diversos partidos

Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB), governadores, presidentes de partidos e Zélia Duncan estão entre os que participaram. [...]

Por Super - Rádio e Notícia em 27/06/2020 às 16:04:11

Um ato virtual nesta sexta-feira (26) em defesa da democracia reuniu políticos de diversos partidos e artistas.

Entre os participantes do ato estavam o ex-prefeito de São Paulo e candidato a presidente pelo PT em 2018, Fernando Haddad, o candidato do PDT nas eleições de 2018, Ciro Gomes, a candidata da Rede à Presidência em 2018, Marina Silva, e a cantora Zelia Duncan.

Governadores também participaram, entre os quais Eduardo Leite (PSDB-RS), Camilo Santana (PT-CE), Paulo Câmara (PSB-PE), Renato Casagrande (PSB-ES) e Flávio Dino (PCdoB-MA). Os ex-governadores Márcio França (SP) e Tarso Genro (RS) também discursaram, assim como presidentes de partidos, entre os quais Bruno Araújo (PSDB), Carlos Siqueira (PSB) e Carlos Lupi (PDT).

No discurso, Haddad afirmou que áreas como saúde, educação, meio ambiente e segurança estão "em risco" porque o presidente Jair Bolsonaro, em vez de "unir o país em torno de um projeto", "comete crimes de responsabilidade semanalmente".

"Este senhor que ocupa a Presidência da República ofende a saúde pública, ofende as instituições democráticas de uma forma tal que está completamente tipificado como crime de responsabilidade previsto na Constituição. Ele chegou a participar de atos públicos, durante a pandemia, pelo fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional", afirmou.

Haddad defendeu ainda o afastamento de Bolsonaro, por meio de um processo no Congresso Nacional, e a restauração dos direitos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Candidato a presidente pelo PSDB nas eleições de 2006 e 2018, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin disse que o momento é de união e de defesa da democracia.

"É hora de deixar de lado os personalismos e nos unirmos em termos de valores, princípios, em defesa da democracia e em defesa do interesse público", acrescentou.

Candidato a presidente nas eleições de 2002 (PPS) e de 2018 (PDT), o ex-governador do Ceará Ciro Gomes também participou do ato. Disse que em algum momento deverá haver o sentimento de "reconciliação" para entender o que levou a população a votar, em 2018, "nessa tragédia que estamos vivenciando".

Citou ainda "urgências que o povo pede", entre as quais: "Proteger as liberdades, para que os artistas se expressem sem censura, para que a empresa faça seu trabalho crítico sem violência, para que os partidos confrontem suas ideias, projetos e convicções sem o dessabor autoritário e para que as instituições funcionem exemplarmente. [...] Haverá resistência, nunca mais haverá ditadura".

Candidata a presidente nas eleições de 2014 (PSB) e 2018 (Rede), a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva disse que "a democracia é o único antídoto, sistema de defesa". "Que a gente possa estar unidos em uma agenda que se qualifica na defesa da dignidade humana, da vida e da democracia".

Fonte: G1

TV News
Anuncie 2
Don Petisco
SPlay

Comentários